Friday, July 29, 2011

Thursday, July 28, 2011

Wednesday, July 27, 2011

Saturday, July 23, 2011

"HOMEM DE PEDRA"



FOTOGRAFIA: Gad, Porto, 2011


Homem de Pedra

Já fui um grão de areia todos pisavam em mim
Agora resolvi tomar uma decisão
Não sou mais grão de areia, virei uma pedra bruta
De pedra transformei também o meu coração.

De pedra muito dura fiz pra sempre meu destino
De aço construí minha imaginação
O pranto dos meus olhos para sempre envenenei
Pra matar seu orgulho e a sua traição.

Sou um homem de pedra e não penso mais em nada
Foi o meu sofrimento que me fez ficar assim
Não amo mais ninguém e não quero se amado
E agora desse jeito quero ver quem pisa em mim.

Homem de pedra que não tem mais compaixão
Não tem alma não tem nada nem amor nem ilusão
E só assim silenciou meu sofrimento
Sou agora uma estatua sem abrigo no relento.

(Trio Parada Dura)

O SUBSÍDIO DE NATAL


Fotografia: Gad. Porto, 2011

Friday, July 08, 2011

Era uma vez um "Menino Bom" que levou um "Murro no Estômago"

(Ilustração: Net)


O Menino Bom
O menino bom sentava-se na primeira fila da sala para ver e ser visto pelo (a) St'ôr(a).
O menino bom dava-se apenas com os (poucos) meninos bons da sua classe.
O menino bom gostava de agradar aos pais, aos avós e, sobretudo, aos professores.
O menino bom gastava apenas o dinheiro necessário para a senha do almoço e para o lanche.
O menino bom fartava-se de "marrar" e tinha sempre, por isso, excelentes notas.
O menino bom passou no exame com um admirável aproveitamento. Não houve, nesse ano, mais nenhum(a) menino(a) se aproximasse, sequer, das altas notas do menino.
Nas férias, o menino bom, ao contrário dos seus colegas que foram para a praia e ao cinema, fez "a correr" todos os trabalhos de casa e estudou a matéria que ainda estava por dar.
Quando o ano começou o menino bom levou um "MURRO NO ESTÔMAGO"... A matéria tinha mudado e os professores já não eram os mesmos. Tanto empenhamento para o "LIXO"! clamaram os pais do menino.
O menino bom ficou desapontado com a maldade que lhe haviam feito. No primeiro teste do novo ano o menino bom teve a pior nota da sua vida. Culpou os professores, a escola e até os pais por não o terem avisado dos riscos que corria em fazer "olhinhos bonitos" aos seus professores.
Os outros meninos, excepto aqueles meninos (também) bons, habituados a passar "À RASCA" rapidamente se afastaram dele e, não disfarçavam os sorrisos maliciosos sempre que o menino bom por eles passava, agora de olhos postos no chão.
Os meninos bons, amigos do menino bom, logo se afastaram do cantinho do recreio onde, antes, os bonzinhos se reuniam, com medo do contágio da desgraça que tinha caído sobre a cabecinha do seu amigo.
Moral da história: O menino bom, apesar dos seus inegáveis esforços, não conseguiu convencer ninguém e, pior, o seu comportamento foi visto pelo Director da Turma com muitas reservas...

Tuesday, July 05, 2011

Oeiras, Festa Comemorativa do 50º Aniversário do Coro de Sto. Amaro de Oeiras

(Actualização: 07/07/2011)

KUSSONDULOLA * Brilhou no palco (e fora dele, interagindo com o público). Foi um dos grandes momentos da festa sobretudo quando cantou a famosa "Dançam No Huambo".
Não foi fácil fotografar este meu "patricío" nas condições de luz que existiam. Assim como ele tive de dar o "máximo" para conseguir o foco desejado...
Quem ler a descrição com que precedeu esta série e este post reparará que hoje não respeitei a ordem das actuações que ali referi. Talvez porque hoje não me apeteça respeitar nada.



"Dançam no Huambo"

Pim pam pum, cada bala mata um
Lá em cima do Huambo
Tem um copo com veneno
Quem bebeu morreu
Quiribi, quiribi macaco
Macaco que é boa
Ei cota Silva o rapaz
Até nem tem a culpa
Tem pai que é retornado
Tem pai que é refugiado
Ilegal disfarçadamente ilegal
Ilegal disfarçadamente ilegal
Fazem reuniões
Fazem debates
Adis-Abeba
Lusaka , Lusaka
Cambas da luz e do dia
Não pertencemos nem á noite
Nem á esciridão
Pòu,póu,póu
Póu,póu,póu
Dançam no Huambo
Andanças de guerra
Bombardeiam sem parar
Sou um escravo fugitivo
A minha alma está no meio
O filho do homem negativo
Ei costa silva legaliza
A situação do rapaz
Filho do homem negativo

(Kussondulola; Composição: Janelo da Costa)






* Kussondulola é uma banda de reggae angolana residente em Portugal. O líder da banda é o angolano Janelo da Costa.

Em 1995 lançaram o seu álbum de estreia. O disco incluía sucessos como "Dança No Huambo" e "Perigosa", entre outros.

O grupo toca em Vilar de Mouros, lança o disco em Espanha e vence o Prémio Banda Revelação dos Prémios Blitz

Discografia:

(Fonte: Wikipédia)


(Post: 03/07/2011)

Teve lugar em Oeiras, no Largo 5 de Outubro (Largo da Igreja), a Festa de Comemoração do 50º Aniversário do Coro de Santo Amaro de Oeiras.
O Programa da Festa era extenso, começando com diversas actividades logo pelo início da tarde, mas foi à noite que, apesar do frio que se fez sentir, a festa animou com a actuação dos seguintes intervenientes (por ordem):

- Rancho Folclórico da Associação Cultural de Tercena;
- Canta e Dança;
- Luís Sousa;
- Nuno Norte;
- Kussondulola;
- Dança - Coreografia de Liliana Vitorino
- Kussondola
- Coro de Santo Amaro de Oeiras.

A série de fotografias que se seguirá, durante uns dias, reporta-se aos momentos que ali (vi)vi.
As fotografias, todas nocturnas, foram todas captadas com a minha CANON EOS 50D e uma única objectiva: EF 135mm, 1:2














Fotografias: GAD. Oeiras, Julho 2011
Proibida a reprodução. Todos os direitos reservados