Monday, April 30, 2007

Thursday, April 26, 2007

Dedicatória

Dedico uma das "minhas obras", com amor e carinho, à ilustre e anónima Ana Magalhães (seja ela quem for).



título: "cócós"
S. Pedro do Estoril, 2004

Anónimo disse...

Anónimo disse...
caí aqui ao fazer uma busca pela obra de João Tabarra, artista que considero maior na arte contemporanea, e foi com algum espanto embora respeite todas as opiniões...que li os cócós que um tal de gonçallo escreve, que moralista...que que ingnorante...que felicidade em ser estupido...moda??? ganzado???de facto este blog cheira mesmo muito mal... e como sou gaja não compreendo os auto-broches ainda por cima de padrecos...mas onde estão mesmo as vossas obras???beijo, Ana magalhães
-------------
Será esta senhora? aceitam-se apostas.
Ou esta?. Não credito que escrevesse Gonçalo com 2 "ll"...
Definitivamente não é. Esta senhora passou a 4ª classe.
Bom. É este o problema dos anonimatos. Os ignorantes ficam curiosos e ansiosos por conhecer pessoas realmente cultas e bem formadas. Agora já não tenho mais tempo para pesquisar (tenho um avião para apanhar) e o meu pai já está farto de escrever as coisas que eu vou gaguejando, com dificuldade, (porque também não sei falar muito bem) do meu parque cheio de brinquedos.







Em véspera de mais uma temporada em Angola (vou amanhã) quero aqui deixar o meu sincero agradecimento aoa meus amigos / colaboradores que, comigo tornaram possível mais uma "empreitada" de projectos e de sonhos.Esta imagem, não tem pretenções para além do agradecimento sincero à Susana, à Andreia, ao Edgar e ao Tiago Iglésias (na foto).Sem a sua cumplicidade e dedicação os nossos projectos não passavam disso. bem hajam !

Wednesday, April 25, 2007

O "lado Bom"da blogosfera.

Tudo tem um lado bom e um lado mau. É um "lugar-comum" sim senhor. Mas não deixa de ser verdade.
Se por magia deixásse de existir o "Lado Mau" de todas as coisas, o "Lado Bom" passaria a ser tão mau como o "Lado Mau", pela simples razão de que deixaria de haver termo de comparação.
Por outro lado, ao acabar com o lado mau, os "bons da fita" como o "Santo" Miguel Sousa Tavares tinham de começar a "auto-processarem-se" por falta de assunto na "Caverna" (blogosfera, entenda-se).

Para ilustrar esta opinião vou contar uma história recente onde "o lado bom e o "lado mau" se casaram num bonito exemplo daquilo que são as virtudes do Ciberespaço.

Era uma vez... Um arquitecto que ao pesquisar no google tópicos sobre a sua pessoa (o vaidoso...) encontrou uma referência, com uma fotografia e tudo, a um projecto da sua lavra, onde curiosamente, a autora do blogue, artista plástica espanhola, depois de muito investigar (a fachada dos edifícios do arquitecto tinham muito a ver com um quadro seu) acabava por atribuir a autoria desse projecto ao ilustre arquitecto Aires Mateus.
O outro arquitecto, contrariamente ao suposto não a insultou nem a ameaçou com um processo.
Limitou-se a informar a curiosa artista que, "por acaso", o autor era ele próprio.

Constrangida, mas sobretudo admirada por não ter sido alvo de impropérios ou "ameaças de morte" (os espanhóis nisso são como nós) apressou-se a fazer um post para corrigir o equívoco mas, sobretudo realçar o desportivismo com que o arquitecto "ultrajado" reagiu ao engano.

Seguiram-se comentários elogiosos (para o "Je") de alguns dos leitores do seu interessante blogue.
O arquitecto, no entanto, ficou com o "quadrito" atravessado no gosto e propôs à artista um "negócio qualquer" para adquirir essa obra.
Depois de alguns e-mails trocados entre os dois chegaram a um acordo: A artista trocava o seu "quadrito" por um desenho à escolha no blogue do arquitecto.
E assim foi. Passados uns dias o arquitecto recebeu o "quadrito" acompanhado de um catálogo de uma recente exposição da autora e à artista chegou protegido por uma velha caixa de papel fotográfico "AGFA" o desenho eleito por ela.


Depois continuaram amigos e correspondem-se muitas vezes e até comunicam via msn!
O arquitecto tem até na ideia, um passeio à cidade onde vive a artista, (valência) para se conhecerem pessoalmente e aproveitar para ver a "espacialmente futurista" Cidade das Artes de Calatrava".
É uma história de "encantar" não é?!. Só não acaba com o trivial..."viveram felizes para sempre e tiveram muitos filhos".

Se o Dr. Miguel Sousa Tavares não tivesse "maus fígados" provavelmente, em vez de andar a fazer tristes figuras e a regorgitar reaccionárias (Vá, processa-me) opiniões sobre a blogosfera, também teria algumas histórias bonitas (da net) para contar.
FIM

Tradução de (má qualidade) mas de boa vontade para a Charo e os poucos (mas bons) leitores espanhóis que vou tendo:

Traducción de (mala calidad) pero de buena gana para la Charo y los pocos (pero buenos) lectores españoles que voy teniendo.

Todo tiene un lado bueno y un lado malo. Es un lugar-común sí señor. Pero no deja de ser verdad.
Si por magia deixásse de existir el "Lado Malo" de todas las cosas, el "Lado Bueno" pasaría a ser tan malo como el "Lado Malo", por la simple razón de que dejaría de haber término de comparación.
Por otro lado, al acabar con el lado malo, los "Buenos de la cinta" como el "Santo" Miguel Sousa Tavares tenían que comenzar a auto-que se procesen por falta de asunto en la "Caverna" (blogosfera, entiéndase).

Para ilustrar esta opinión voy a contar una historia reciente donde "el lado bueno y el "lado malo" se fundieron en un bonito ejemplo de aquello que son las virtudes del Ciberespacio.
Era una vez... Un arquitecto que al investigar en el google tópicos sobre su persona (El vanidoso...) encontró una referencia, con una fotografía y todo, a un proyecto de su labra, donde curiosamente, la autora del blogue, artista plástica española, después de mucho investigar (la fachada de los edificios del arquitecto tenían muy a ver con un cuadro suyo) acababa por atribuir la autoría de ese proyecto al ilustre arquitecto Aires Mateus.
El otro arquitecto, contrariamente al supuesto no a insultó ni a amenazó con un proceso.

Se limitó a informar la curiosa artista que, "por casualidad", el autor era él propio.
Constrangida, pero sobre todo admirada por no haber sido blanco de impropérios o "amenazas de muerte" (los españoles en eso son cómo nosotros) se apresuró a hacer un post para corregir el equívoco pero, sobre todo realzar el desportivismo con que el arquitecto "ultrajado" reaccionó al engaño.

Se siguieron comentarios elogiosos (para el "Je") de algunos de los lectores de su interesante blogue.

El arquitecto, sin embargo, se quedó con el "quadrito" atravesado en el gusto y propuso a la artista un "negocio cualquiera" para adquirir esa obra.

Después de algunos e-mails intercambiados entre los dos, llegaron a un acuerdo: La artista intercambiaba su "quadrito" por un dibujo a su elección en el blogue del arquitecto.
Y así fue. Pasados unos días el arquitecto recibió el "quadrito" acompañado de un catálogo de una reciente exposición de la autora y a la artista llegó protegido por una vieja caja de papel fotográfico "AGFA" el dibujo electo por ella.

Después continuaron amigos y se corresponden muchas veces y hasta comunican vía msn! El arquitecto tiene hasta en la idea, un paseo a la ciudad donde vive la artista, (valencia) para que se conozcan personalmente y aprovechar para ver el "mamarracho del teatro de Calatrava".Es una historia de "encantar" no es?!.
Sólo no acaba con el trivial..."vivieron felices para siempre y tuvieron muchos hijos".

Si el Dr. Miguel Sousa Tavares no tuviera "malos hígados" probablemente, en vez de andar a hacer tristes figuras y a vomitar lamentables opiniones sobre la blogosfera, también tendría algunas historias bonitas para contar.
FIN



O J-A nº 226

A minha modesta opinião sobre o último nº do "pasquim" está aqui.

25 de Abril Sempre!

Foto da autoria de Heliz
Aproveitem e visitem a excelente galeria desta fotógrafa.

Monday, April 23, 2007

O "preço" da arrogância



Comecei por chamar a esta postagem "Menino Mimado". Pensei melhor e corrigi o título não fosse o Dr. Miguel Sousa Tavares (M.S.T.) pôr-me "um processo em cima" (o meu blogue não é anónimo.) e eu tenho medo de "processos" e de ameaças fisicas.
Tenho pelo (M.S.T.) sentimentos contraditórios. Uma espécie de "amor/ódio" que não consigo racionalizar.
Se por um lado acho piada ao seu estilo arrogante e provocador (uma espécie de José Mourinho do Jornalismo) por outro lado, custa-me vê-lo opinar sobre assuntos que não domina com a postura enganadora e autoritária de um sábio.
Quando mete "a foice em seara alheia" normalmente sai asneira... Por exemplo: quando se refere ao território, ao urbanismo ou/e à arquitectura (deixando de fora os futebóis).

Mas não foi a arquitectura que me levou a escrevinhar este texto. Foi a sua
exagerada reacção
a uns tipos quaisquer que, anonimamente, num blog o acusaram de plágio no seu Best Seller "Equador".
Li algures que (M.S.T.) defendia uma validação e autentificação prévia dos candidatos a bloggers. É o seu entendimento da democracia.
Também não suporto "anonimatos" venham eles de onde vierem. Faziam todo o sentido no tempo do "Botas". Mas ainda são pratica corrente e quase obrigatória, sobretudo nos media, quando cidadãos indefesos vêm a público dizer certas e determinadas verdades com a cara tapada ou a voz distorcida para evitar as decorrentes represálias ou consequências.

Ou será que o Miguel Sousa Tavares reagiu tão violentamente porque "a boca" saiu nos jornais e, teoricamente, o fez vender menos uns livritos?·
Não acredito que ele esteja convencido que umas atoardas anónimas tenham "potência" para sujar o seu imaculado bom-nome.
Se existisse essa reacção "boca"/efeito o nosso Primeiro Ministro já nem sabia soletrar o apelido de tão fustigado que tem sido na imprensa e no blogs (anónimos ou não) com a sua alegada licenciatura.
Por curiosidade fiz uma breve pesquisa na net para ver o que ali se edita sobre o Dr. Miguel Sousa Tavares. Fiquei pasmado com a contundência de alguns textos (assinados) e que, tanto quanto é público, não mereceram processos ou conjecturas futuristas da parte do visado.

Não esteja tão preocupado com os blogues Dr. Miguel Sousa Tavares. Nós aqui também temos uns "anónimos maçadores" mas resolvemos o assunto ao estilo da "Blogosfera".

p.s. Como é que processa um suspeito que é anónimo?!

Botão de Alarme




Évora, 2007

Sunday, April 22, 2007

"Gajos" de quem eu gosto.



Isaltino. Gosto dele.
Nasci em Paço de Arcos, Oeiras em 1964.
A minha vida deu muitas voltas mas vivo de novo (há 3 anos) em Paço de Arcos, Oeiras.
Ideológicamente não podia estar mais longe do Isaltino.
Contudo, tenho os olhos abertos e a equidistância políca suficiente para avaliar, como cidadão, o seu trabalho.
Oeiras é hoje talvez o concelho português onde a qualidade de vida é mais relevante.
Tenho pelo Isaltino a mesma postura (prudente) que mantenho em relação à maioria dos autarcas deste país.
O que para mim distingue o Isaltino de outros "dinaussauros" do Poder Autárquico é o seu trabalho.
Dizem que mete dinheiro ao bolso... Mas, verdade ou não, para além dessa questão (por provar) o que é facto é que quem vive em Oeiras, sente que está alguém competente e empreendedor no comando do seu Município.
E aqui vive-se bem.
Basta atravessar a "fronteira" para o Concelho de Cascais para perceber a diferença.

Adoro Braga!





























Saturday, April 21, 2007

Tadinhos dos carecas...




Ninguém compreende os "meninos" da extrema-esquerda.
Queriam fazer hoje uma "festa/convivío em Lisboa.
Os "maus" não deixaram.

Fiquei com tanta pena que decidi confortá-los e dedicar-lhes este auto-retrato.
Espero que gostem seus escarros racistas e xenófobos!

10.000!


Criado em Agosto de 2005 o "Artes e Ofícios" atingiu hoje as 10.000 visitas.
Aqui fica o meu Muito Obrigado a todos os que me têm aturado.

Esta é mesmo a sério!

Caro PCM:
O dia já acabou há um bom bocado. Inevitavelmente começa outro (novinho em folha)!
Trocámos para aqui animados comentários a propósito do Jornal dos Arquitectos.
Quero que o meu amigo saiba que nada tenho contra si. Verdadeiramente até gostei muito da "parada e resposta" dos nossos comentários. A falar (ainda que mal) é que nos entendemos.
Não o conheço pessoalmente tal como não conheço o "AM" e outros intervenientes.
Gostava de vos conhecer a todos.
Provavelmente, se nos encontrássemos bebiamos umas "Jolas" e ríamo-nos disto.
gosto de intervir, por vezes de "picar", mas não faço nenhuma colecção de "inimigos".
Isto que fique bem claro. tenho a maior consideração por quem manifesta a sua opinião, habitualmente diferente da minha.
Gosto da ironia, vivo bem com ela.
Para acabar, meu caro, devo dizer-lhe que fiquei com muito boa impressão de si.
venham mais discussões como esta, sem ultrapassar o limite da boa educação.
Um abraço a todos e um grande fim-de-semana!

Ideia.

Este dia foi para mim um dia de profunda reflexão sobre o actual J-A, a comunidade de arquitectos (que são obrigados a recebê-lo), e o seu Editor Principal.
Foi divertido, didáctico e esclarecedor.
Fiquei a saber, entre outras coisas de menor importância, que o responsável pelo J-A tem mau perder. Como a minha avózinha (que Deus tem) dizia; o indivíduo é "peludo". Coisas de antigamente.
Peludo ou não, não demonstra ter a coragem de se candidatar ao próximo mandato.
Fica, portanto um vazio. Ninguém, de bom-senso, estará interessado em substituir o Sr., PCM.
Depois de muito pensar encontrei uma possível solução; Vamos seguir o exemplo do Eng.º Sócrates. Vamos ser cautelosos no desperdício de folhas A4. Só nos ficará bem.
Proponho uma alteração substancial na concepção do "nosso" órgão de informação;
Em primeiro lugar deixará de se chamar "J-A" (Jornal-arquitectos) para assumir a modernidade e passar a ser denominado "B-A" (Blogue-arquitectos).
Acabava-se o desperdício de papel (em nome da ecologia);
Qualquer arquitecto inscrito e com senha poderia intervir em qualquer sítio e em qualquer momento.
Abria-se um "mundo" virado para a participação e confraternização de todos os membros.
Criava-se naturalmente um Provedor do B-A, para manter o nível.
Haveria espaço para a crítica construtiva ou não.
Os justamente "desesperados emergentes" tinham um link onde poderiam despejar os seus trabalhos na certeza de virem a ser apreciados por um júri isento e, no caso de merecerem a sua aprovação, veriam os seus projectos publicados.
O dinheiro que se poupava com a não edição em papel do J-A daria concerteza para promover acções de convívio entre membros, lançar concursos, e pagar o que a O-A já deve por causas perdidas...
Não tenho disponibilidade para me candidatar (passo o tempo a correr entre Portugal e Angola) e tenho a responsabilidade de levar para a frente um gabinete de média dimensão.
Mas, dou de borla estas ideias a quem, mais fresco e empreendedor, decida mudar o estado lastimável das coisas.

Friday, April 20, 2007

Conheça Melhor o Editor Principal do [J-A] O Sr."PCM"


AQUI! nos comentários ao post: O pior cego







Texto retirado do irreverente (bom nome para um blog, será que já existe?) odespropósito





http://odesproposito.blogspot.com/2007/04/o-pior-cego.html

Wednesday, April 18, 2007

Igreja em Benguela, Angola








Fotografia





"A Deusa estava comigo"
Évora, 2007

"Prédio do Livro I", Luanda



"Prédio do livro I" em Luanda (antiga Av. Guilherme Capêlo) onde morei muitos anos no 13º dos seus 16 andares.
Uma das referências do experimentalismo revolucionário dos arquitectos portugueses em espaços onde podiam "respirar" sem a proximidade do hálito nauseabundo da ditadura.
Desconheço o seu(s) autor(es). O Arqº Troufa Real sabe concerteza, já que é uma das raras "enciclopédias vivas" da nossa pratica profissional exercida em Angola durante o "tempo colonial".
Para quando um trabalho sério, bem documentado e didáctico sobre esta evidência?
Dispensáveis são as recentes e recorrentes (sobretudo no Natal) publicações saudosistas e de inspiração neo-colonialista, daquilo que foram os ambientes, edifícios e espaços destas cidades. As cidades falam por si...
Os edifícios, como este, tiveram econtinuam a ter a capacidade de aguentar a apropriação, a degradação o tempo, com toda a dignidade.
Pelo modernismo e pela liberdade com que foram concebidasde grande parte destas incógnitas obras.

Tuesday, April 17, 2007

Só (crates) 15 valores?!

Só (crates) 15 valores?!
É lamentável a injustiça do nosso jornalismo.
A SIC abre o noticiário com esta notícia:



O “SOL” também, na sua edição on-line.
Então nem valorizam a capacidade de síntese e a preocupação ecológica do nosso Primeiro-ministro?!
Não é para todos... fazer uma prova de Inglês Técnico usando uma única folha A4.


E mais; não alcançam a grande aposta que o Eng.º (?) Sócrates Sousa tem vindo a fazer nas chamadas “novas tecnologias”?


Não era de louvar o facto do aluno José Sócrates Sousa ter optado por enviar a sua prova por fax?
O que é que queriam?! Que fosse mais um a entupir as nossas estradas e a gastar o precioso combustível desnecessariamente?
Ainda bem que amanhã vai ficar tudo esclarecido na"bombástica" Conferência de Imprensa da UNI.
Então, até amanhã.

Monday, April 16, 2007

Fotografia


Imagem que dedico com muito carinho à artista Espanhola Charo Peiró pela dedicação, interesse e amizade que tem demonstrado, apesar de (ainda) não nos conhecermos pessoalmente.

Imagen que dedico con mucho cariño a la artista Española Charo Peiró por la dedicación, interés y amistad que ha demostrado, a pesar de (aún) no nos conociéramos personalmente.

Sunday, April 15, 2007

Memórias desenhadas.

"Tempos de Estudante"
Bons tempos! primeiro no Porto, na antiga ESBAP e nos anos seguintes em Lisboa no velho convento,perto do Chiado.


Nos inúmeros cadernos de capa preta que conservo, entre os esquissos a "bic laranja", (herança da escola do porto que mantenho)encontro muitos "retratos" de colegas e professores, de uma e outra escola.

Lembro-me de todos eles (o desenho tem essa vantagem)apesar de já não me lembrar da maior parte dos nomes.
Também me recordo dos momentos em que fiz grande parte desses registos.
Alguns muito críticos(a saudável rebeldia da juventude)...
O tempo, e os diferentes caminhos que seguimos encarregaram-se de nos afastar e de "empastelar" essas memórias.
Contudo,este post é dedicado a todos eles.
Se alguém se reconhecer ou identificar outro colega, fico muito agradecido se acrescentar (ou rectificar) algo a este post.

PORTO
Colegas:





















PORTO
Professores:





LISBOA
Colegas:











LISBOA
Professores: