Saturday, May 29, 2010

s/t

Fotografia: Gad. Santo Amaro de Oeiras, 2010

O meu amigo espanhol

Fotografia: Gad. Santo Amaro de Oeiras, 2010
Tenho um amigo. Espanhol, de idade "avançada", mais do que a minha. Bastante mais. Advogado, ainda em exercício. Conhece tão bem Portugal como a "Terra que o viu nascer" - Salamanca.
Homem de uma simplicidade extrema, guarda (não esconde) um passado de dor.
Criámos primeiro uma empatia, já lá vão dois anos, numa mesa de um café da Vila, onde o castelhano nos uniu e nos divertiu. O Alfonso tem casa "aqui na vila" onde vem recorrentemente, de acordo com o seu calendário e com as suas obrigações profissionais.
Mas, sempre que chega, telefona ao seu amigo "gonzalo".
Para beber um copo, para conversar, para o quer que seja,
É uma amizade incondicional, Nascida e criada no prazer da companhia e da partilha.
Assim deveriam ser todas. Mas não são.

Friday, May 28, 2010

Bom fim-de-semana!

Fotografia: GAD. Santo Amaro de Oeiras, 2010
Fotografar pessoas por vezes tem como (justo) retorno olhares "afiados", gestos e perguntas agressivas, etc.
Mas também tem o lado simpático, de quem não vê, na máquina nem no fotógrafo, um agente sinistro e mal-intencionado. Como este divertido grupo que deste modo entendeu retribuir o "meu olhar". Muito à africana..." Bom fim-de-semana!
Santo Amaro de Oeiras, 2010

Monday, May 24, 2010

A "minha rua nunca está nua"...


"Ter Razão"

Fotografia: Gad. Oeiras, 2010

È mau, muito mau.
Porque é "não ter nada"...
É pensar que se tem força, quando essa força é apenas fundamentada na maior das subjectividades - a razão.
Essa razão que, sem existir, transforma as pessoas em seres despóticos, perversos ou, frívolo e resignados.
Para a generalidade, medíocre generalidade, basta "ter razão". É uma espécie de medalha que se conquista com argumentos também medianos, e se ostenta, mal polida, numa farda feita de farrapos, de antigas "razões", conquistadas provavelmente da mesma maneira.
"Ter razão, é por isso, ter tudo e ter nada. Nos "dias que correm é ter "muito pouco".
Santo Amaro de Oeiras, 2010

CAPICUA! (80808)

Saturday, May 22, 2010

Bom fim-de-semana!

Fotografia: Gad. Oeiras, 2010

...Sobretudo aos mais atingidos pelo "Prémio" Austeridade e Contenção ou lá o que isso é.

Tuesday, May 18, 2010

Manuel Graça Dias, as Cidades do futuro e a domótica

Eu nem queria dizer nada... Calhou apanhar o Manuel Graça Dias a fazer de "entrevistado" num daqueles programas de televisão "para encher", que me pareceu dedicado às casas e às cidades do futuro.
Gostei de ver o Manel. Mas não gostei de o ouvir. Bem sei que o Manel também não foi fazer aquele "frete" (teve de falar de domótica e tudo...) para ser ouvido... mas sim para ser visto.
Na verdade, o Manuel Graça Dias não disse nada. Na verdade, também, não lhe foi feita uma única pergunta "decente". E, verdade seja dita, aquelas mais "técnicas", mais apropriadas ao assunto do dito "po"grama, o nosso Manel "cortou para canto", refugiando-se na eventual sabedoria dos técnicos da equipa projectista, dos consultores, hohó, hohó...
A dada altura, para quem o conhece era evidente o embaraço e, como diria o "viajante" Victor figueiredo, a "Mala de Truques" não chegou...

Sócrates está feliz. Já se pode casar com ele próprio.


Cavaco e os gays - Há "coisas" que nunca mudam


Por "esta" não esperava, confesso.
Nada me levava a pensar que o nosso (ultraconservador) Presidente da República - Cavaco Silva, deixasse passar a Lei, à primeira, assim "sem mais nem menos"...
Estamos sempre a aprender, é certo.
Mas, por isso mesmo, nada é por acaso. E esta promulgação, sem "fitas" também não o foi, com certeza.
Cavaco já não tinha muita "margem de manobra" em relação a esse assunto tão (imagino) incómodo para a sua estrutura intelectual...
Chumbar a lei, ou adiar o seu veredicto seria prolongar uma flagelação, mais uma, para a qual o "homem" já não deve estar disposto.
Por outro lado, nos "corredores apertados" da informação do Poder, não devem faltar casos de gays, de festas abrilhantadas com swing's de vários gostos, apimentadas com coca (cola) e outras mais alucinantes, tudo "matéria" confidencial.
De Cavaco, e por Cavaco, ponho eu as "mãos no fogo"...
Não o estou mesmo a ver, de boca cheia de bolo-rei, a "fazer-se a uma miúda atrevida, podre de boa, cheia de coca, e a bradar para o céu algarvio "YES!".
Há coisas que nunca mudam. E, cavaco, para o bem e para o mal, é uma delas. Uma coisa. Que nunca muda.

"Fazer de Conta" cansa, e muito.






Fotografias: Gad. Santo Amaro de oeiras, 2010

Sunday, May 16, 2010

Coisas que eu não entendo.

Há pessoas, muitas, que gastam dinheiro, muito, a comprar equipamento fotográfico "topo de gama" exclusivamente para se fotografarem (a si próprios)...
Para esses (as) o meu modesto contributo:

O que é que eu faço?!

É que não sou de nenhuma "Força Partidária" e só a palavra "manif" me faz lembrar aqueles chinelos repugnantes de enfiar o dedo grande do pé (tipo Festa-do-Avante)...

Bom fim-de-semana!

(Obrigado "Kianda", pela dica)

Saturday, May 15, 2010

Já disponiveis resultados do concurso internacional "A House in Luanda"

Engº Sócrates, importa-se de definir "Esforço Patriótico" ?!



Será o que o senhor (L.M.) teve de fazer para conseguir uma cadeira de rodas eléctrica sem qualquer apoio do Estado?

Será o que ele tem de superar todos os dias porque, mesmo no edifício da Câmara Municipal de Oeiras não se cumpre a Lei e não existem rampas para deficientes motores?

Ou até mesmo na Igreja Matriz local onde essas rampas só chegam ao patamar principal porque o padre achou que "mais" desfeava a entrada no "templo"?


Ou será aquilo que o Sr. (J) tem de fazer, todos os dias, há muitos anos, para levar para casa um mísero saco de plástico com os alimentos que consegue arranjar para "mais um dia"?!



Ou, talvez seja o que o "meu amigo" (A) que já bem podia estar a gozar a sua reforma faz, todos os dias, há muitos anos, para ajudar os filhos a manter um café aberto, numa Vila onde a autarquia só lhe cria dificuldades.

Será isto? E, repare, sr. engenheiro... apenas referi pessoas que conheço. Não números, nem estatísticas encomendadas "a gosto". Podia aqui "descarregar mais 30 ou 40...

Ora, senhor engenheiro, Vá à Fava com os seus discursos que cheiram às "Conversas em família" do tempo da "outra senhora" que Vc. (desculpe, perdi-lhe o respeito para mais...) evidencia ter tantas saudades...

Fotografias: Gad, 2010





Friday, May 14, 2010

PROLONGAMENTO...



As (des) culpas do "Imberbe" (P.P.C). e a lição do "velho" (T.S.)



Pedro Passos Coelho (P.P.C.) pediu desculpa aos portugueses por ter sido mentiroso.
Coitado do (P.P.C.)... Logo a seguir vieram os "profissionais" da aldrabice, digo política, ensinar ao imberbe líder, apesar de bem-intencionado, que nessas "coisas" não há culpas e muito menos desculpas a pedir. Teixeira dos Santos foi o primeiro a mostrar ao "puto" como é que se faz quando se está "entalado"... E deixou descalço o peregrino "Passos de Coelho":
(...) "O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos (T.S) - (t.s?!- helá!), disse, em entrevista à SIC, que não tem que pedir desculpas aos portugueses pelo aumento temporário dos impostos."Quando fazemos aquilo que tem de ser feito para ajudar o país e para defender a estabilidade financeira da zona euro, tenho de pedir a compreensão dos portugueses para a necessidade destas medidas e não pedir desculpa", declarou Teixeira dos Santos...")
Nem mais. Ele, o Teixeira, disse que tinha apenas que pedir a compreensão dos portugueses... Mas pediu?! E os portugueses deram?
Os portugueses são, nestas e em muitas outras situações, uma abstracção que os políticos, nomeadamente os governantes evocam despudoradamente para compor as aldrabices que o programa mediático impõe. (T.S.) está-se nas tintas para aquilo que os portugueses pensam (sim, porque ainda há portugueses que pensam). As suas declarações serviram apenas para "abafar" as (des) culpas de (P.P.C.), em jeito de "puxão de orelhas" de "rato velho".
Pela parte que me toca, nem desculpo o "Pedrito" nem tenho compreensão pelo abominável ministro das Finanças (e não só). Como cidadão sinto-me ultrajado. Como empresário das tão apregoadas (em período eleitoral) Pequenas e médias Empresas (PME's) sinto-me convidado a ir "montar a barraca" para terrenos com menos moscas.
Como uma coisa e outra sinto um impulso incontrolável de chamar a uns e a outros de (G.F.da P.) Com o maior respeito pelas ditas.



TRÊS (3) PORTUGUESES (AS) "COMPREENSIVOS (AS)" FOTOGRAFADOS (AS) HOJE:







Fotografias: Gad. Amaro de Oeiras, 13 de Maio de 2010

Thursday, May 13, 2010

Sócrates, Passos Coelho e os iogurtes fora de prazo

Fotografia: Gad. Santo Amaro de Oeiras, 2010

Para quem como eu não é economista, longe disso..., as notícias recentes sobre a nossa economia poderão parecer algo contraditórias ou mesmo bizarras.
Por um lado o "PEC" não só foi bem recebido pelos nossos "donos", como produziu efeitos a muito curto prazo; depois o Papa "trouxe-nos" um aumento do PIB, referente ao primeiro trimestre de 2010 de 1%... Algo considerado extraordinário no contexto dos países europeus, maioritariamente "aflitos".
Simultaneamente juntam-se o Primeiro-ministro actual - José Sócrates com aquele que gostava de o ser - Pedro Passos Coelho e "cozinham" uma autêntica sopa (para os pobres) mas, desta feita com uns toques de filantropia para parecer bem...
A mim, lembram-me aqueles putos marrões, burros até "dizer chega", que conseguem sempre boas notas e se esgadanham depois para conseguir ficar na mesa da frente a fazer olhinhos bonitos aos senhores professores.
E a "malta" vai enchendo, "inchando" como um iogurte fora do prazo de validade...
Mas eles são tão ignorantes que já não não se lembram do que acontece aos iogurtes quando ficam muito tempo esquecidos num canto qualquer.

"Curva apertada à Direita"

Wednesday, May 12, 2010

Little Toot

Fotografia: Gad. Baía de Luanda, 04-2010

Saia e carregue no 2.

Cheguei ao aeroporto da Portela cansado. Mais de 7 horas de voo, mais de 10 horas sem fumar, muitas horas sem dormir. Vinha de Luanda onde, no embarque, as "coisas" também não tinham corrido propriamente bem... (houve um "artista" que se lembrou de me tirar da mão o passaporte (angolano), o talão de embarque e desandar pela placa dizendo coisas que para mim, não faziam qualquer sentido, sobretudo quando o avião que era suposto eu apanhar estava a recolher a escada e a fechar lentamente a porta...
Era de madrugada e a situação resolveu-se com a intervenção de duas funcionárias "avisadas" da TAP que interceptaram o tal sujeito e me reconduziram para junto do "grande pássaro"... Depois de um telefonema para o comandante do avião a justificar a presença do "passageiro que faltava" lá voltou a escada, a porta abriu-se magicamente e eu entrei. Fui mesmo, desta vez o "último passageiro"...)
Voltando a Lisboa, à Portela e aos táxis do aeroporto: Depois de percorrer a pista de atletismo em que se transformou o percurso desde a manga "atracada" à porta do avião até à "recolha de bagagens" e recolhida que foi a dita bagagem, dirigi-me para a fila dos táxis. O meu destino era Cascais, a casa da minha mãe, onde tinha deixado, guardado o carro.
Entrei no táxi que me coube (um Mercedes recente, cor de merda), cumprimentei o taxista e adiantei: _ Cascais pela A5, s.f.f.) não fosse daqueles que parte do princípio que o cliente "está numa de passeio"...
Resposta: _ Saia e carregue no 2!
Eu: hum?
O homem agravou o tom de voz: Não ouviu? ! Saia e carregue no 2!!!
Entretanto, como eu nem saía, nem estava a perceber que raio de coisa era aquela de "carregar no 2", o sujeito atravessou-se literalmente por cima de mim, deitou a mão ao puxador da porta do passageiro (eu) e, lá percebi, carregou numa das teclas que, fiquei a perceber também, regulavam automaticamente a posição do banco... O "2" fazia o dito andar para trás...
Passei-me...
Confesso que há situações onde a tolerância, a inteligência, a experiência, os instintos de auto preservação, pura e simplesmente dão lugar a uma enorme e básica vontade de "fazer miséria"...
E não aconteceu nada de menos digno porque o homem não correspondeu (felizmente, digo agora) à brutal descarga de indignação e de impropérios que nos acompanharam nos primeiros quilómetros da viagem.
E ainda bem. Já basta o que basta. Para a próxima já sei que tenho de carregar no "2", ou no "3" ou seja lá no que for...


Fotografia: Gad. Angola, 2010

Por mim durma à vontade, se é que a consciência lhe permite...


Retirado DAQUI

E por falar em Espaço Aéreo Condicionado...

Fotografia: Gad. Luanda, 04-2010

Tuesday, May 11, 2010

Falar à toa

Falar "à toa".
Gosto de falar "à toa". Já há algum tempo que não o faço.
Não porque me faltem motivos, talvez porque me falte a motivação.
"Falar à toa" foi uma forma que eu "arranjei" de dizer (aqui) o que me apetece, sem qualquer lógica editorial ou disciplina de conteúdos. Falar à toa é falar à toa e, acaba quase sempre por ser um desabafo inconsequente sobre aquilo que verdadeiramente me preocupa ou, melhor, me ocupa os neurónios.
Hoje ocupei uma grande parte do meu dia a fazer uma lista de compras no site "continente online"...
Por razões que aqui não vou esmiuçar, vejo-me de novo, confrontado com estas alternativas (e ainda bem que as há) de fingir que se faz uma vida normal sem, contudo, o fazer.
Pela lógica do site referido (e está bem feito) perderia muito menos tempo e ganharia em tranquilidade, fazendo as ditas compras a partir de casa, sem ter de me "embrulhar" nos infindáveis corredores do hipermercado, sem ter de perguntar 500 vezes onde ficava o corredor dos cereais para os putos, etc, etc.
Acabou por não ser assim mas atribui o relativo desaire à minha inexperiência.
Quarta-feira, se tudo correr bem, cá estão os (continentes) a entregar a minha extensa lista de compras (esqueci-me dos sacos para o lixo...) entre as 14 e as 16:30h.
Para mim é perfeito. A sociedade vai correspondendo ao modelo de solidão que prevalece e chama-lhe conforto. Ironias...
Por mim podia existir um serviço on-line de entrega de tabaco (quantas vezes a meio da noite faz falta...), de bebidas variadas, e de acompanhantes. Ah, pois... Esse já existe há muito tempo...
E, ainda bem, também.
É uma bonita maneira de acabar de falar à toa... Uma homenagem sincera aos "serviços" de acompanhantes. Já tiveram outros nomes mas, graças a Deus (O Papa está aí...) agora têm um nome digno, embora ambíguo - como o dos fiscais de linha...
Apenas cometem menos erros, são mais profissionais e dão menos nas vistas.

Um "tesouro" bem guardado

Fotografia: Gad. Luanda, 2010
É "tudo" o que ele tem. Uma bola. No caminho para a escola protege-a como se de um verdadeiro tesouro se tratasse.
Por ela é capaz de lutar, de "morrer", até. Para ele faz toda a diferença.

Revisão de provas

O que achas desta, Lobito?...
Fotografia: Gad. santo Amaro de Oeiras, 2010

Sunday, May 09, 2010

O "Mau da Fita"

Fotografia: Gad. Santo Amaro de Oeiras, 05-2010
Todas as histórias têm de ter um. É uma espécie de mal-necessário, como o cartão de memória das máquinas digitais e muitas outras coisas... Se não existir, não funcionam. Pronto.

Grandes Gestos - Obrigado Fidalgo!

Da profunda solidão que eu sinto por nós

Fotografia: Gad. Cascais, 05-2010


Para ti mãe.
Para ti m(Ana)também, uma das primeiras fotografias feitas com a Leica M8.

Friday, May 07, 2010

Bom Fim-de-semana!

Fotografia: GAD. Ilha de Luanda, 04-2010

Quando se é pobre não há "mal" que não tenha cura...

Fotografia: Gad. Luanda, Angola, 04-2010

Saber esperar


Se há alguma coisa em que os angolanos podem dar lições ao mundo é no "saber esperar". Esperararam 30 anos pela paz... esperam, todos os dias por melhores condições de vida, esperam pacientemente pelo transporte, pelo salário, pelos filhos, pela cura da malária, pelo fim do SIDA, pela mulher que há-de chegar.
Saurimo, Lunda Sul, Angola, 2010

Saturday, May 01, 2010

Bom fim de semana!


-Diga lá camarada: qual foi a parte que não percebeu?!
FOTOGRAFIA: GAD. Luanda, 2010